segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Viver sem viver... Um pouco de mim.



No post anterior, uma homenagem aos meus filhos.
Hoje, um pouco de mim.
..
Acredito que vale a pena sonhar... correr atrás do arco-íris... saber esperar...
Posso dizer que
"meu histórico de vida é meu orgulho".
No poema evidencio minha felicidade.


Amar e ser amada!
Eu quis alcançar e me sentar no trono da fidelidade.
Não recebi o prêmio do amor 'encantado'.
Perdi a força e a coragem, a resistência,
os sonhos...
Da plenitude do amor superei as dificuldades
em tempo de sair da inércia...
Muito tempo levei mas canalizei meu sublime amor
para o apogeu de viver só!
A tristeza da solidão a dois substituída pela
imensidão do amor platônico,
restando sublimação visceral...

Nada se perpetuou, embora a persistência
quase tenha se tornado divina!
Não existe ação sem efeito e podemos querer
aspirar o viver bem, mas somos
fascinados pela tranformação de quem amamos,
o que causa o embrutecimento irremediável
dos sentidos.
E assim decidi, como todo ser humano precisa
de alguma ousadia para cortar a corda
de ser livre... Cortei!
Cortei e me libertei!
Minha vida se tornou deleitável...
Neutralizei todas as forças negativas, e venci!
Sou feliz !


Lídia Valéria

Não permita que sua dor,
seja ela causada pelo motivo que for,
o impeça de vislumbrar a beleza da vida.
Lídia Valéria Peres


5 comentários:

Anônimo disse...

Olá poetiza. Lindo ver essa maneira de se abrir, se mostrar, inspirando outras pessoas. Parabéns. Seja feliz.

Juraci Maria - Recife

Anônimo disse...

Mãe, você é um orgulho!

Glauco

bloglauco.blogspot.com

Lídia Valéria disse...

Olá, Juraci Maria, de Recife...

A liberdade deixou-me 'transparente' e sou feliz assim.
Se inspirar alguém, valeu escrever.

'O tempo me ensinou a não dar a ninguém o direito de me fazer infeliz.'
Se uma só pessoa se inspirar nessa frase minha, estarei realizada.

Feliz com suas considerações, obrigada.
Flores em seus caminhos e paz, muita paz.

...............................


Glauco, meu filho, você sempre foi meu Norte, Meu Porto Seguro.
Filhão!

Albani disse...

Olá Lidia,Saudades!Estive ausente , mas agora retorno para ver as novidades.Você é uma vencedora!A tua força está presente na tua vontade de ser você mesma, enfrentando obstáculos e resurgindo como a fénix.Belo poema.
Um abração Albani

Albani disse...

Oi amiga! Saudades de suas postagens!Como vai vc?Espero que estejas melhor!Um abração.
Albani

Real Time Web Analytics